quinta-feira, 2 de julho de 2009

Michael, Michael, Michael...

Eu sei que esse é o assunto mais falado da última semana e que possivelmente muitos de vocês já estão saturados dele, mas nesse período eu fiquei cada dia mais interessada por Michael Jackson. Não por sua morte, não pela forma como morreu, como será divido seus bens ou quem sabe onde é que ele será enterrado, mas com sua música, sua carreira, sua vida. E sua vida mesmo - não se ele abusou sexualmente de alguma criança, ou se tem acumulado um montante de 500 milhões em dívida... Mas com Michael. Assisti o documentário chamado "Vivendo com Michael Jackson" (Living with Michael Jackson) essa semana - que várias e várias emissoras passaram repetidas vezes e admito que nunca tinha visto - eu nem me interessava tanto por Michael, e sempre achei que era um coitado que sofria com tanto assédio e que estava quase falido.
Fiquei abismada com o documentário. Minha mãe sofreu muito com a morte de Michael, afinal ele fez parte de sua infância e adolescência, mas Michael pra mim foi sempre Thriller, We are the world, Heal The World e... só. É uma pena ter realmente conhecido Michael Jackson apenas agora que morreu - assim como outros milhões e milhões de pessoas, pois agora o cd de Michael e Jackson Five estão vendendo mais do que água! Admito que entrei hoje nas Lojas Americanas e não resisti a voz do pequeno Michael cantando ABC... Comprei o DVD Coletânea!
O documentário, apesar de todo sensacionalismo que o repórter de quinta categoria - com toda sinceridade - tenta fazer sobre a figura de Michael Jackson, deixa claro que perdemos uma criança grande, um incrível pai e um ótimo filho. Fiquei realmente sentida por não tê-lo conhecido antes.
Michael admite ao repórter seu grande amor por Peter Pan - a criança que nunca cresceu - e lembrou-me o meu amor imenso por esse conto de J. M. Barrie e a esse fenomenal desejo que TODOS temos da infância eterna - alguns mais que outros, mas no fundo todos nós já desejamos persistir para sempre jovens.
Por mais besta que essa idéia possa parecer e por mais que ela já tenha tido uma enorme repercussão com Elvis, terei que admitir que após ver tamanho sofrimento de Michael com relação a mídia no documentário, onde ele não consegue nem mesmo passear com seus filhos no zoológico, eu chego acreditar que sua morte repentina é uma fraude e fruto da necessidade de querer viver - viver mesmo, aproveitar todo seu dinheiro (que após anunciada a sua morte deve ter triplicado), curtir seus filhos, seus bens, a homenagem e o enorme reconhecimento de seus fãs e... Sua eterna infância. Se eu fosse Michael, faria isso. Enfim, precisava prestar também a minha homenagem a esse pequeno, porque por mais incrível que pareça estou sentindo um estranho vazio.
Que descanse em paz na Terra do Nunca - ou, se estiver vivo, em seu rancho Neverland.



"Há um lugar em seu coração
E eu sei que ele é o
amor
Esse lugar pode ser o mais brilhante amanhã
E se você realmente tentar,
Você irá descobrir que não precisa chorar...
Nesse lugar você irá sentir que não há mágoa ou tristeza."

(Heal The World - Michael Jackson)

5 comentários:

Gashburz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Raoni disse...

Maicon!!! Maicon!!! Hehe. Olha só o povo brasileiro sabotando o inglês. Não é o máximo? Isso reflete o sucesso que ele fez em todo mundo. Nunca vi por aí tantos Elvis ou Johns Lennons quanto Maicons, ou Micaeis, ou etc. E mesmo assim estão comparando o "rei do pop" com o outro rei e o cabeludinho de óculos redondo (rei de merda nenhuma).

Na hora do almoço eu tava discutindo isso. Quanta hipocrisia! Enquanto o cara tá fodido e endividado, todo mundo deixa pra depois. Mas quando o cara morre, os CDs dele esgotam nas lojas, como se nunca mais fossem lançá-los!!! Tem coletânea do Elvis saindo até hoje!!! Povo besta!

Enfim, Michael Jackson tb faz parte da minha infância (não pessoalmente. hehe). Joguei Moonwalker no Mega Drive, fiquei abismado com os efeitos especiais de Black or White e Remember The Time, e cantarolei Billy Jean mesmo sem saber o que ele tava dizendo (agora eu sei). Ah, tinha o desenho dos Jacksons Five tb! Era tipo um "Scooby Doo", todos numa Van, viajando, mas aí eles faziam shows e tudo mais. E claro, as piadinhas!!! "Onde o Michael Jackson vai quando entra no banheiro???"

Enfim, o cara era um monstro de grande na mídia, e assustava muita gente. Será mais lembrado que Elvis e John Lennon, já que marcou muito mais que esses caras. Ele foi onde nenhum deles foi, até o povo, o povão, do mundo inteiro! Sua dança falava mais que qualquer letra de música, e assim conseguiu chegar a todos, que o imitam até hoje.

É isso aí, Maicon!!!

LaussPoynter disse...

DEFINITIVAMENTE eu também acredito na teoria de que o Michael ta vivo e escondido em algum lugar... Esse homem, oumelhor essa criança, pq o Michael parou mentalmente quando ele tinha seus 8,9 anos... sofreu de mais.. O pai dele era um desgraçado, que traumatizou um pobre menino.
Realmente a morte é uma coisa estranha... ainda mais de alguem que semrpe eteve ali, mesmo nao fazendo nada, é chocante... Afinal de contas qnd eu nasci ele já estava la, com nariz ou sem, mas estava.. e agora?? COMOFAS?

enfimm... triste mas é o curso da vida né? Pelo menos isso ele teve igual a todo mundo!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Maari. disse...

achei seu blog numa comu ; acheei muito interessante suas postagens, rs
essa so michael realmente, muita gente só veio conhecê-lo após a morte ..
cansa toda hora ligar a televisão e ter reportagens sobre ele, mas é inegável o fato de que nos chama atenção ;
uma pessoa que mudou tanto durante a vida e cercado de polêmicas ;
uma vida na qual penso que faltou felicidade

;*